Encerrada a Velha Maneira de Viver

Encerrada a Velha Maneira de Viver

“Encerrada a Velha Maneira de Viver”
(1 Pedro 4:1-6)
Série: Força na Adversidade
Rev. Todd A. Linn, PhD
Primeira Igreja Batista de Henderson, Henderson
Peguem suas Bíblias e juntem-se a mim em 1 Pedro, capítulo 4 (Pg 816; YouVersion).
A primeira palavra na passagem, “Portanto,” é uma porta que aponta em duas direções: aponta para trás na passagem anterior e para frente para aquela que vem adiante. Assim frequentemente dizemos, “Quando você ver um ‘portanto’ no texto, pergunte para que serve esse ‘portanto?’ Como uma porta que aponta para frente e para trás.
Para nos ajudar a entender o que se segue, nós oscilamos para trás e relembramos do parágrafo anterior, capítulo 3, verso 18, “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito.” E Pedro fala sobre o batismo Cristão, como isso retrata nossa união à morte e ressurreição de Cristo. Como crentes nos dias de Noé eram salvos por estarem “na” arca, assim crentes de hoje são salvos por estarem “em” Cristo Jesus.
Cristo sofreu por fazer o bem. Lembre-se de que Pedro havia dito em 1Pedro 3:17, “Porque é melhor, se for a vontade de Deus, sofrer por fazer o bem do que por fazer o mal.” Jesus sofreu por fazer o bem. Ele viveu uma vida perfeita por nós e morreu uma morte perfeita por nós. Jesus sofreu por fazer o bem.
E Pedro então volta a esse assunto do sofrimento de Cristo conforme a porta aponta agora para frente no primeiro verso do capítulo 4, “Portanto, desde que Cristo sofreu por nós na carne, armem-se vocês mesmos com a mesma mentalidade,” ou mesmo pensamento.
Então vocês também se armam, Cristãos, armar a vós mesmos, se preparar para a mesma coisa. Preparem-se para sofrer por fazerem o bem. Preparem-se para sofrer e não serem tentados a evitar o sofrimento dando lugar ao pecado. É isso o que Pedro ensina a seguir.

Por favor, fiquemos de pé em honra à leitura da Palavra de Deus.

1 Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente, armem-se também do mesmo pensamento, pois aquele que sofreu em seu corpo rompeu com o pecado,
2 para que, no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus.
3 No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante.
4 Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam.
5 Contudo, eles terão que prestar contas àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos.
6 Por isso mesmo o evangelho foi pregado também a mortos, para que eles, mesmo julgados no corpo segundo os homens, vivam pelo Espírito segundo Deus.
Oração.
Introdução:
Meu amigo pregador Hershael York contou sobre um tempo em que ele havia levantado cedo certo Domingo de manhã para rever seu sermão antes de pregá-lo na histórica Igreja Batista Ashland Avenue em Lexington. Ele havia levantado cedo, tomou um banho, se vestiu e colocou um par de calçados confortáveis que ele usava em casa. Era um par de calçados velho e feio e não um que você usaria em público, mas eles eram confortáveis e assim ele os usava em casa. Sua esposa, Tanya, odiava os calçados e havia tentado jogá-los fora uma vez, mas Hershael os encontrou no lixo, os apanhou e os escondeu de forma que pudesse usá-los em casa de manhã.
Então nessa específica manhã de Domingo ele havia colocado esse velho par de calçados como fizera em outras ocasiões. Mais tarde, quando chegou a hora de ir para a igreja pregar, ele ajuntou suas coisas e dirigiu para a igreja. E foi na hora que ele estava no púlpito, pregando no primeiro culto, que ele olhou para baixo e viu que estava calçando aqueles calçados velhos e feios.
Imagine como ele deve ter se sentido: de pé lá no púlpito, vestindo um terno novo e bem passado, limpo, gravata bonita e um velho, feio, surrado par de calçados! Os sapatos não combinavam com o que ele estava usando. Eles pareciam fora do lugar. Eles não lhe serviam. Ele deveria tê-los jogado fora e colocado seus novos sapatos.
Isso se parece um pouco com a metáfora de Paulo sobre a vida Cristã sobre “se livrar do velho,” se livrando das coisas do velho estilo de vida e então “se vestindo do novo,” nos vestindo com novas atitudes e comportamentos em Cristo (Efésios 4:22-24; Colossenses 3:9-13).
Cristãos morreram para o velho modo de vida. Isso é retratado no batismo, mergulhar nas águas batismais retrata a morte para a velha maneira. O sair das águas retrata a ressurreição, levantando para andar em um novo modo de vida.
De maneira similar, em nossa passagem nesta manhã Pedro diz no verso 2 que devemos “não mais viver o resto de nosso tempo na carne para os prazeres dos homens.” Na verdade, ele diz no verso 3, “No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos (descrentes).” Nós temos que morrer para o velho estilo de vida, se livrar dele. Dispa-se do velho e vista-se do novo.
Nós encerramos a velha maneira de viver. Nós somos diferentes agora e temos que viver de um modo diferente no mundo.
Às vezes um Cristão pergunta ao pastor ou a um professor, “Que tipo de coisa eu posso fazer sendo um Cristão?” Em outras palavras, “O quão perto eu posso chegar de pecar, mas ainda estar certo de que sou salvo?” Sabe como é, “Nós vivemos no mundo e algumas coisas não são ‘preto no branco,’ existem áreas cinzentas, então até onde eu posso chegar? Onde está o limite? O quão perto posso chegar dessa linha e ainda me sentir bem com Deus?”
E com frequência essas perguntas dizem respeito a coisas como fumar, beber, jogar em cassinos, jogar na loteria e coisas do tipo. “Conforme vivo neste mundo, onde fica a linha? O quão perto posso chegar dela? O quão longe posso ir?”
E nossa resposta para esse tipo de pergunta deveria ser algo como: “Veja bem, nós vivemos no mundo, isso é verdade. Mas temos que estar no mundo vivendo como Cristo. Não temos que estar em Cristo, vivendo como o mundo.”
Nós encerramos com a velha maneira de viver. E se voltarmos para o velho estilo de vida, se engajando em alguns comportamentos de nossa vida antes de Cristo, isso não se encaixa com o que somos agora. É como se fôssemos à lata de lixo e pegássemos o velho, surrado e feio par de sapatos que usamos um dia. Não combina com o que somos agora. Não se encaixa em nós. Nós encerramos com a velha maneira de viver.
Pedro fala sobre tudo isso em relação ao sofrimento de Cristo. Seu ponto aqui nesses versos é: “Veja, haverá momentos em que o mundo vai te ridicularizar porque você é diferente. Você é diferente, você age de maneira diferente e o mundo vai partir para cima de você e vai te insultar. O mundo vai te convidar a viver como eles vivem, a viver em pecado. E eles vão te ridicularizar se você não se juntar a eles. Mas não se junte a eles. Viva para Deus. Sofra ao invés de dar lugar ao pecado. Cristo vale a pena. Sofra e um dia você se sentirá feliz por isso.” É isso o que essa passagem ensina. Vamos dar uma olhada nisso juntos. Versos 1-2:
1 Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente, armem-se também do mesmo pensamento, pois aquele que sofreu em seu corpo rompeu com o pecado,
2 para que, no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus.
Certo, anote isso, número um:
1. Se Proponha a Viver para Deus e Sua Glória (1-2)
Quando você sofre por fazer o que é certo – e o sofrimento que Pedro tem em mente nesses versos é o sofrimento do abuso verbal de não-Cristãos – você enfrentará tentações para satisfazê-los ao invés de agradar ao Senhor. Assim, em essência, Pedro diz, “Se proponha em seu coração a agradar a Deus mais do que agradar ao homem.” Viva para Deus e Sua glória.
Pedro nos lembra no início do verso 1 que, “Cristo sofreu por nós.” Assim você, olha para essa frase no verso 1, “armem-se também do mesmo pensamento,” ou o mesmo propósito. Esteja pronto para sofrer como Cristo sofreu. Eles O ridicularizaram. Eles irão te ridicularizar. Arme-se, esteja pronto, esteja preparado para sofrer injúria assim como seu Senhor sofreu.
A Tradução New Living coloca isso muito bem. Preste atenção a isso: “Desde que Cristo sofreu dor física, você deve se armar com a mesma atitude que Ele teve e estar pronto para sofrer também.”
Esteja pronto! Uma maneira de estar pronto é se lembrar do que Ele fez por você quando sofreu.
Meu amigo Paul Brantley me enviou um vídeo do corredor de maratona Ryan Hall. Quando Ryan Hall correu a Maratona de Boston dois anos atrás, ele ganhou a distinção de correr a maratona mais rápida que um Americano já havia corrido. Ryan Hall também é um Cristão comprometido que, neste vídeo, compartilhou a respeito de como ele enxergaria os sofrimentos de Cristo como uma motivação para continuar correndo. Toda vez que ele sentia dor enquanto corria, ele se lembrava da dor de Cristo sofrendo por ele e isso o motivava a continuar correndo, a seguir em frente.
Isso é parecido com o que Pedro está falando aqui. Quando você for ridicularizado lembre-se de que eles ridicularizaram nosso Senhor também. Lembre-se o que Ele fez por você e isso o motivará a seguir em frente.
Não fique surpreso quando você sofrer por Cristo. Jesus disse que isso iria acontecer. Jesus diz a Seus seguidores em João 15:18-19:
18 Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes Me odiou. 19 Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas Eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia.
Tenha o propósito de não viver para este mundo caindo em pecado, mas viva para Deus e Sua glória. Arme-se com o mesmo pensamento de nosso Senhor. Você tem que morrer para o pecado. Isso não significa que você é perfeito, mas significa que você rompeu com o pecado que governava sua vida. Ao invés do pecado e do mundo governar sua vida, Cristo governa sua vida. Assim, quando você passar por provação, você mostrará aos outros que não está vivendo para os prazeres passageiros deste mundo, mas você está vivendo para Deus e Sua glória.
Pense nessa declaração: Armem-se. Se você já armou um alarme antifurto em casa ou no trabalho, você está se certificando de que antes de você sair tudo está pronto quando o problema ocorrer. Então Pedro diz, “Armem-se. Estejam prontos para quando o problema chegar.” Tenha o propósito de viver para Deus e para Sua glória e não para o mundo. Número dois:
2. Melhor ser Ridicularizado do que Viver como o Mundo (3-4)
Paulo diz em Romanos 8:18, “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós.”
O que quer que você enfrente, o que quer que você passe, contudo você sofre neste mundo conforme vive para Cristo, esse sofrimento será extremamente superado pela glória que um dia será revelada para nós. Melhor ser ridicularizado do que viver como o mundo. Não se esqueça disso. Sofrer por Cristo vale a pena.
Olhe novamente os versos 3 e 4:
3 No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos (os não crentes). Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante (coisas que não mudaram muito, mudaram?). Verso 4:
4 Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam.
Eis a paráfrase: “Ei Johnny. Nós vamos sair para beber esta noite. Vem com a gente.” Você diz, “Não, obrigado. Eu entreguei meu coração a Cristo e não posso fazer isso.” Resposta: “Johnny, você é um idiota. Você é um puritano. Você é um hipócrita. Quem você pensa que é? Eu vi como você viveu no passado. Desculpe, você é bom demais para nós – Cristão!”
Você percebe o que Pedro diz no verso 4, “Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam.”
Eles estão dizendo, “Venha conosco.” Quando eu fui um oficial de condicional, eu costumava aconselhar aqueles que estavam em liberdade condicional sobre “as velhas amizades,” aquele pessoal com quem costumavam andar. Eu dizia, “Não ande com eles nunca mais. Se você fizer isso, eles vão te levar direto para a prisão.”
Essa frase, “Andar com eles,” sugere algo em andamento, freneticamente, passadas rápidas em busca de prazer. Isso também sugere que aqueles que fazem isso nunca encontram o que estão buscando, sempre desapontados e necessitando correr novamente. Algumas pessoas vivem suas vidas inteiras dessa maneira, semana após semana, correndo atrás de coisas que estão constantemente os iludindo. Isso me lembra de uma canção popular quando eu estive no colegial:
Todo mundo trabalhando para o final de semana
Todo mundo quer um novo romance
Todo mundo está indo para o buraco
Todo mundo precisa de uma segunda chance
Simplesmente correndo semana após semana, vivendo para o fim de semana, esperando encontrar prazer, propósito e significado.
Isso descreve alguns de vocês? Simplesmente vivendo para os fins de semana? Procurando por amor nos lugares errados? Você pode se identificar com esses comportamentos no verso 3, “libertinagem, sensualidade, bebedeiras, orgias, farras,” e assim por diante? Você está se automedicando com comportamentos que você sabe em seu coração que são errados?
Pedro diz aos Cristãos que costumavam viver dessa maneira, ele lhes diz no início do verso 3, “No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos (não Cristãos),” nós gastamos tempo suficiente de nosso passado vivendo de forma ímpia. A ênfase é “Suficiente!” Quer você tenha vivido um longo período nessa situação ou quer você tenha conhecido a Cristo na juventude, Pedro diz, “É o suficiente!” Você não precisa saber se perdeu alguma coisa. Muito tempo ou pouco, é o suficiente. Você não vive desse jeito em Cristo.
“Nós estamos no mundo vivendo como Cristo o quanto pudermos. Não estamos em Cristo, vivendo como o mundo o quanto pudermos.”
As pessoas vão te ridicularizar por viver por Cristo, especialmente aqueles que você conheceu antes de começar a viver para Jesus. Ouça a Tradução New Living:
“É claro, seus antigos amigos ficam surpresos quando você não mergulha mais na correnteza das coisas selvagens e destrutivas que eles fazem. Dessa forma eles te ridicularizam.”
Quando eu estive no Colegial, eu participava da banda e no primeiro ano fui ao Acampamento da Banda onde nos ensinaram a marchar no passo certo. Você tem que estar no mesmo passo dos demais, marchando na mesma batida. A pessoa do seu lado esquerdo coloca o pé esquerdo à frente, e você faz o mesmo e todo mundo está no passo certo. Se você não prestar atenção ou dançar fora do tom, então você está de passo errado e é engraçado.
Na vida Cristã, não tem problema estar de passo errado com relação ao mundo. Não tem problema estar de passo errado com a cultura. Está tudo bem nadar contra a correnteza, seguir contra o fluxo, ficar com Cristo contra o mundo. Isso, na verdade, é o que devemos estar fazendo.
Um dos problemas da igreja moderna é que ela está tentando desesperadamente permanecer na mesma passada da cultura, tanto é que muitas igrejas modernas estão cada vez mais parecidas com o mundo e cada vez menos parecidas com o Senhor. Especialmente em nossa cultura, muitas igrejas contemporâneas estão fazendo o possível para imitar as coisas do mundo. Consequentemente, elas estão produzindo Cristãos professos que na verdade não parecem ou agem diferente dos não Cristãos.
Dessa forma a declaração de Pedro no verso 4, “Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente” não se aplica. Quem acha que esses Cristãos e suas igrejas são diferentes do mundo? Quem acha esses Cristãos e suas igrejas estranhas na maneira que vivem? Resposta: Muito pouco porque na verdade não são diferentes do mundo.
Nós temos que nos posicionar com Cristo contra o mundo, não de forma arrogante, mas com convicção amorosa. E quando você fizer isso, esteja preparado para ser ridicularizado. Eles, última parte do verso 4, “por isso os insultam.”
Veja o que acontece quando você se posiciona com Cristo. Observe o que acontece quando você compartilha com as pessoas do mundo que você crê que o sexo fora do casamento é errado. Compartilhe suas convicções sobre pecado e a natureza destrutiva do adultério, ou homossexualidade, e esteja preparado para ser ridicularizado. Compartilhe sua convicção a respeito de Cristo ser o único caminho para o céu e esteja preparado para ser ridicularizado. Na verdade, se posicione contra todo pecado e esteja preparado para sofrer por fazer o bem. Pedro diz, “Eles vão insultá-lo, vão falar mal de você Cristão.”
Por que vão te insultar? Já pensou nisso? Por que não Cristãos falam mal, ou difamam, como coloca a versão NVI, “Eles acham estranho…por isso os insultam.” Por que?
Ouçam um comentário (Wayne Grudem):
“Por que…? Sem dúvida, porque a não-participação silenciosa no pecado muitas vezes implica na condenação desse pecado, e ao invés de mudar a maneira de ser, descrentes difamarão aqueles que tiveram dor na consciência,ou justificam sua própria imoralidade espalhando rumores que ‘justos’ Cristãos são imorais também.”
Em outras palavras, quando uma pessoa perdida vai para a luz, ele vê sua própria sujeira. É condenação. Então mais que se arrepender, é mais fácil ridicularizar aquele cujo viver correto nos condena. É mais fácil ridicularizar os outros do que enfrentar nosso próprio pecado.
Ainda, observe isso agora, Pedro diz que descrentes não podem escapar da responsabilidade de suas ações. Um dia de julgamento está chegando. Olhe o verso 5:
5 Contudo, eles terão que prestar contas àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos.
Um Dia de Julgamento está chegando. Deus julgará tanto vivos como mortos. É uma maneira de dizer, “Ninguém escapa ao julgamento.” Você não pode escapar ao julgamento morrendo. A morte não vai impedir o descrente de escapar ao julgamento. Eles prestarão contas a Ele que está pronto para julgar a todos, os vivos e os mortos. Todas as pessoas um dia estarão diante de seu Criador e enfrentarão o julgamento.
Pedro menciona o julgamento para encorajar os Cristãos que enfrentam a ridicularização por viverem para o Senhor. Ele lhes diz, e este é o nosso ponto final, número três:
3. Olhe para o Futuro Quando Tudo Estiver Certo (5-6)
Você pode sofrer agora, você pode enfrentar o ridículo hoje, mas olhe para o futuro quando tudo estará bem. O Dia do Julgamento está chegando e aqueles que te ridicularizaram um dia vão encarar seu Criador. Assim, entregue seu sofrimento nas mãos de Deus.
Isso é parecido ao que Pedro escreveu lá no capítulo 2 sobre o sofrimento de Cristo por nós para nos deixar um exemplo que devemos seguir Seus passos, “pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente (1 Pedro 2:21-23).”
Então quando outros te submeterem ao ridículo, deixe isso com Deus. Coloque nas mãos de Deus. Olhe para o futuro quando tudo ficará bem. Deus vai julgar os vivos e os mortos.
Assim, Pedro encoraja o Cristão a lembrar de seu próprio futuro. Verso 6:
6 Por isso mesmo o evangelho foi pregado também a mortos (aqueles que creram em Cristo e mais tarde morreram), para que eles, mesmo julgados no corpo segundo os homens (isto é, Cristãos vão morrer como os não Cristãos), vivam pelo Espírito segundo Deus.
Aqui está uma paráfrase do verso 6: “O Evangelho foi pregado a Cristãos que morreram para serem salvos do julgamento eterno.”
Apesar de Cristãos experimentarem a morte física – é isso o que a frase significa – “julgados no corpo segundo os homens,” – apesar de Cristãos provarem a morte física, Cristãos que morreram, irão “viver pelo Espírito segundo Deus.” Significa que, Cristãos irão seguir vivendo, eles estão vivendo no céu exatamente agora, vivendo em espírito, salvos do julgamento eterno.

Conclusão:
Cristão, é melhor ser ridicularizado do que viver como o mundo. Olhe para o futuro quando tudo ficará bem.
“Os sofrimentos deste tempo presente não são dignos de serem comparados com a glória que em nós será revelada (Romanos 8:18).”
Sofrer por Cristo vale a pena.

Fiquemos de pé para orarmos.