Terminando a Corrida com Alegria

Terminando a Corrida com Alegria

“Terminando a Corrida com Alegria”

(Atos 20:1-38)

Série: A Igreja em Chamas!

Rev. Todd A. Linn, PhD

Primeira Igreja Batista de Henderson, KY

(18-05-2008) (Manhã)

 

 

. Peguem suas Bíblias e abram em Atos, capítulo 20.

 

Nós estamos voltando para nossa série de mensagens baseada no livro de Atos. Nossa série tem o nome de: “A Igreja em Chamas” e nós temos estudado como a igreja cresceu como um incêndio se espalhando de Jerusalém até os confins da terra. Vocês se lembram de que o versículo chave para o livro de Atos é encontrado no primeiro capítulo do livro. Em Atos 1:8 Jesus disse para seus discípulos: “Mas recebereis poder quando vier sobre vós o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, Judéia e Samaria e até os confins da terra”.

 

A propósito, nossa liderança ministerial é abençoada por ter conosco hoje dois consultores de missões da Junta de Missões Mundiais para nos ajudar a cristalizar nossa estratégia de Atos 1:8. Nós queremos fazer o melhor ao conduzir a Primeira Igreja Batista no cumprimento do comissionamento de Cristo para nós.

 

O ano é por volta de 62 a.C. e Paulo está em sua terceira viagem missionária. Alguns de vocês têm Bíblias com as viagens missionárias de Paulo nos mapas ao final. Paulo está em sua terceira viagem missionária e nós vamos ler sobre as aventuras dele em Atos 20. Como nós vamos estudar o capítulo todo esta manhã, eu quero ler apenas um versículo antes de nós orarmos e começarmos nosso estudo. Deixe-me ler para vocês um versículo do meio do capítulo. Paulo tem falado sobre os perigos que ele encontrou e vai encontrar ao continuar seu trabalho de propagar o Evangelho. E é com esse conhecimento do perigo que ele faz essa afirmação que eu quero ler antes de nós orarmos. Está no versículo 24.

 

. Fiquem de pé em honra à leitura da Palavra de Deus.

 

24 Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.

 

. Orar.

 

Introdução:

 

Paulo gosta de se referir à vida cristã como uma corrida. Em Filipenses 3:13-14, ele fala sobre: “esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim”, ele diz: “Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”. E em 2 Timóteo 4:7-8 ele fala sobre “terminando a corrida” para receber “a coroa da justiça”.

 

Há algumas semanas, Michele e eu corremos nossa primeira meia-maratona em Indianápolis. Eu honestamente nunca imaginei que pudesse achar uma coisa dessas tão divertida! Mas foi muito divertido. Nosso objetivo era simplesmente terminar a corrida. Nós só queríamos terminar a corrida. E que sensação se tem ao cruzar a linha de chegada e agradecer a Deus por poder correr. Nós terminamos nossa corrida com alegria.

 

Paulo usa essa metáfora da corrida aqui no capítulo 20 para se referir à vida para o Senhor Jesus Cristo. Paulo diz nesse versículo que lemos momentos atrás, versículo 24, que seu único desejo na vida é “terminar a corrida com alegria”. Então eu quero falar sobre como nós podemos fazer isso. Eu quero falar sobre viver essa vida cristã. Como podemos terminar nossa corrida, a corrida cristã com alegria?

 

I. Nós Precisamos Amar a Verdade (1-16)

 

Aqui nos primeiros dezesseis versículos, Paulo ilustra o tipo de amor que nós devemos ter pela Palavra de Deus, a Bíblia, e o glorioso Evangelho que ela proclama. Nosso amor pela verdade do Evangelho significa que duas coisas necessariamente vão acontecer. Primeiro:

 

A) Nós temos paixão pelas Pessoas (1-6)

 

Os seis primeiros versículos são como um registro de viagem, versículos descrevendo os detalhes das viagens de Paulo. Mas é mais do que um registro de viagem. Quando você lê esses versículos você sente a paixão de Paulo pelas pessoas, aquelas com quem ele está ministrando e aquelas para quem ele ministra.

 

1 E, depois que cessou o alvoroço, Paulo chamou a si os discípulos e, abraçando-os, saiu para a macedônia.

2 E, havendo andado por aquelas terras, exortando-os com muitas palavras, veio à Grécia.

3 E, passando ali três meses, e sendo-lhe pelos judeus postas ciladas, como tivesse de navegar para a Síria, determinou voltar pela macedônia.

4 E acompanhou-o, até à Ásia, Sópater, de Beréia, e, dos de Tessalônica, Aristarco, e Segundo, e Gaio de Derbe, e Timóteo, e, dos da Ásia, Tíquico e Trófimo.

5 Estes, indo adiante, nos esperaram em Trôade.

6 E, depois dos dias dos pães ázimos, navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com eles a Trôade, onde estivemos sete dias.

 

Você sente a paixão de Paulo pelas pessoas. Nós somos continuamente relembrados de que a vida cristã não se trata de nós. Trata-se de investirmos nossas vidas em outras, olhando exteriormente enquanto olhamos para cima para Deus. Se nós amamos a verdade, nós temos uma paixão pelas pessoas. E também, se nós amamos a verdade:

 

B) Nós temos uma paixão por Pregação (7-16)

 

Isto é, nós amamos ouvir e compartilhar a Palavra de Deus. Eu amo essa história nesses próximos versículos. Vejam o que acontece quando Paulo prega em Trôade, versículos 7 e seguintes:

 

7 E no primeiro dia da semana (que é Domingo. Nós nos reunimos para adoração aos Domingos desde o Primeiro Domingo em que Cristo ressuscitou da morte), ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite.

 

Então eles se reúnem para adoração no Domingo à tarde e Paulo está pregando até meia-noite. Imagine se eu fizesse isso hoje! “Obrigado por vir se reunir conosco. Abram suas Bíblias; tranquem as portas. Nós vamos até meia-noite”. Vejam o que acontece.

 

8 E havia muitas luzes no cenáculo onde estavam juntos.

9 E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto.

 

E essa expressão “jovem” remete a um garoto em qualquer lugar com cerca de 8-14. Ele está assentado numa janela enquanto Paulo está pregando, Lucas, o escritor, diz que havia muitas luzes lá. Imaginem isso: as lâmpadas queimando oxigênio e emitindo um odor que faz adormecer. Êutico está tentando tomar um ar fresco pela janela e ele fica sonolento e não apenas pega no sono, mas cai da janela. Lucas, um médico por formação, nos dá o detalhe de que Êutico caiu e morreu. Mas lembre-se de que Deus usou os apóstolos de uma maneira incomum durante os primeiros dias da igreja.

 

10 Paulo, porém, descendo, inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está. (Deus ressuscita Êutico através do Apóstolo Paulo da mesma maneira que Deus levantou a menina Tabita da morte através do Apóstolo Pedro em Atos 9).

11 E subindo, e partindo o pão, e comendo, ainda lhes falou largamente até à alvorada; e assim partiu.

12 E levaram vivo o jovem, e ficaram não pouco consolados.

 

A propósito, Charles Spurgeon adverte: “Lembre-se, se nós dormirmos durante um sermão e morrermos, não há apóstolos para nos restaurarem!”

 

É realmente incrível. O amor de Paulo pela pregação é tão grande que apesar dessa interrupção momentânea, ele simplesmente retoma de onde ele havia parado e prossegue já passando da meia-noite, pregando até o amanhecer! Os pregadores estão acostumados a pregarem com interrupções. Algumas vezes as pessoas vêm falar comigo depois e se desculpam por um celular que tocou ou um bebê que chorou e eu digo que fico como se fosse numa redoma e simplesmente prego, mesmo com as interrupções. E embora eu tenha um celular tocando ou um bebê chorando ou coisa do tipo, eu nunca tive ninguém morrendo – não até agora! Mas Paulo merece destaque. Ele está simplesmente pregando e esse camarada cai da janela. Paulo pensa: “Marquem com o dedo onde nós paramos. Eu já volto”. Ele desce, traz o garoto de volta à vida, sobe as escadas e diz: “Certo, nós paramos no versículo 4”. E depois parte para outro lugar para pregar a Palavra:

 

13 Nós, porém, subindo ao navio, navegamos até Assós, onde devíamos receber a Paulo, porque assim o ordenara, indo ele por terra. (Paulo vai encontrá-los em Assós. Ele está fazendo uma viagem de 32 km a pé, sem dúvida que está usando o tempo para falar com Deus enquanto caminha.)

14 E, logo que se ajuntou conosco em Assós, o recebemos, e fomos a Mitilene.

15 E, navegando dali, chegamos no dia seguinte defronte de Quios, e no outro aportamos a Samos e, ficando em Trogílio, chegamos no dia seguinte a Mileto.

16 Porque já Paulo tinha determinado passar ao largo de Éfeso, para não gastar tempo na Ásia. Apressava-se, pois, para estar, se lhe fosse possível, em Jerusalém no dia de Pentecostes.

 

Se nós amamos a verdade, nós teremos uma paixão pelas pessoas e uma paixão pela pregação. Eu sou agradecido por pastorear uma igreja que tem amor pela verdade. Eu gosto de pastorear uma igreja onde as pessoas têm suas Bíblias abertas, acompanhando, enquanto aprendemos juntos a Palavra de Deus. Eu sou grato por pastorear uma igreja que acredita que nós precisamos fazer mais do que ministério social para cumprir o Comissionamento de Atos 1:8, mais do que fazermos construções e darmos alimento e água para as pessoas, mas compartilhando as Boas Novas da Bíblia com as pessoas para que elas sejam transformadas pelo Evangelho.

 

Isso nos conduz naturalmente para o segundo ponto importante. Se nós amamos a verdade, então viveremos pela verdade.

 

II. Nós precisamos Viver para a Verdade (17-27)

 

Quando Paulo para em Miletos, ele chama os líderes da igreja de Éfeso para lhes entregar o que ele crê que será seu último sermão e nesta última mensagem nós vemos o coração de um homem que vive 100 % para a verdade. Ele vive para o Senhor e Sua Palavra.

 

17 E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja.

18 E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós,

19 Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram;

20 Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas,

21 Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.

22 E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer,

23 Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações.

 

Paulo está falando: “Deus está me guiando para Jerusalém”. Ele diz: “ligado eu pelo Espírito, vou para Jerusalém”. Ou seja: “Eu estou sendo guiado pelo Espírito a fazer isso”. Mas veja: “não sabendo o que lá há de me acontecer”. Vê isso nos versículos 22 e 23? “E agora, eis que, ligado eu pelo Espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações”.

 

Algumas vezes, Deus nos conduz para dificuldades. Nós pensamos: “Nossa, porque eu estou passando por momentos tão difíceis?!” e Deus está bem ali, guiando. Quantos de vocês acham que Deus sabe o que está fazendo? Sim, Ele sabe o que está fazendo. Ele está guiando. Deus te conduzirá através do que você está passando. Veja isso no versículo 24:

 

24 Mas em nada (que nada? As coisas que ele acabou de dizer que sabe que vai enfrentar, prisões e tribulações. Ele pensa: “Eu não me importo; sem problema”) tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.

 

Que frase incrível! Eis aqui um cara que nos mostra como devemos viver nossas vidas; como vivermos para a verdade. Ele diz no versículo 24: “não tenho minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira”. Eu não tenho minha vida por preciosa. Eu não vivo para esse mundo apenas. A pior coisa que pode me acontecer é ser morto por servir ao Senhor. Sem problema! Eu não tenho minha vida por preciosa. Nós somos tentados a considerar nossas vidas preciosas, mas a vida cristã não significa que temos que nos preservar, nos mimarmos, e nos adorarmos. A vida cristã não é para ser vivida interiormente. A vida cristã é para ser vivida para o alto, para Deus e exteriormente para os outros. A vida real começa quando nós consideramos nosso local de trabalho e nossa escola como nosso campo missionário. Vida real começa quando nós fazemos nossa viagem missionária para outra cidade, outro estado e outro país.

 

25 E agora, na verdade, sei que todos vós, por quem passei pregando o reino de Deus, não vereis mais o meu rosto.

26 Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos.

27 Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.

 

Paulo diz: “Eu não deixei de”, a palavra significa “retrair” ou “retratar”. Ele diz: “Eu não abandonei meu dever de declarar a vocês todo o conselho de Deus”, isso é: “eu anunciei a vocês todo o conselho de Deus em Sua Palavra”. Eu preguei o bom e o mau. Não deixei nada de fora.

 

É por isso que Paulo pode dizer no versículo 26: “estou limpo do sangue de todos”. Eu creio que ele está se referindo à imagem do sentinela em Ezequiel 33:8-9 onde Deus diz:

 

Se eu disser ao ímpio: O ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para dissuadir ao ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, porém o seu sangue eu o requererei da tua mão. Mas, se advertires o ímpio do seu caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma.

 

Como seu pastor eu também tenho a obrigação de pregar a vocês todo o conselho de Deus, alertando, admoestando, encorajando vocês a viver para a verdade. Se eu não fizer isso, e vocês morrerem sem Cristo, o sangue de vocês está nas minhas mãos. Mas se eu pregar a verdade e encorajar vocês a viverem para a verdade e vocês se recusarem a fazer isso, apontem para o culpado. Certo.

 

Isso nos leva ao ponto final. Nós precisamos amar a verdade e nós precisamos viver a verdade. Em terceiro:

 

III. Nós Precisamos Aprender a Verdade (28-38)

 

28 Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.

29 Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho;

 

Aqui novamente encontramos o papel e a responsabilidade primordiais do pastor. Lembrem que Paulo está se dirigindo aos líderes da igreja, os ministros lá em Éfeso. Ele diz: “Vocês devem pastorear a igreja. Cuidar do rebanho porque falsos lobos virão. Falsos professores virão e eles não pouparão o rebanho. Vocês precisam alimentar o rebanho com a verdade. Ensinem a verdade porque falsos professores virão”. Falsos professores virão como “lobos cruéis” se misturando e eles virão de dentro:

 

30 E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.

31 Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.

 

Portanto, a responsabilidade primordial do pastor não é estar ocupado com isso ou aquilo, mas dedicar a maior parte do seu tempo à Palavra, aprendendo a verdade e ensinando a verdade para a igreja. Paulo diz: “Lembrem que foi isso que eu fiz por três anos enquanto estava com vocês. Por três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós”.

 

Eu amo esse retrato de Paulo pregando de tal maneira, os advertindo com lágrimas nos olhos. Que coração de pastor!

 

Ray Stedman conta sobre uma certa igreja que demitira seu pastor e arrumara um novo. Ele disse que alguém perguntou a um membro da igreja por que eles tinham dispensado o antigo pastor. O membro disse: “Porque ele ficava falando para as pessoas que elas iam para o inferno”. Diante da resposta, a pessoa tornou a perguntar: “O que é que o novo pastor diz?” O membro disse: “Oh, ele também continua falando para as pessoas que elas vão para o inferno”. A pessoa perguntou: “Bom, qual é a diferença?” O membro disse: “A diferença é que quando o primeiro falava, ele parecia estar satisfeito com isso. Mas quando o segundo fala, ele mostra o quanto isso o machuca”.

 

32 Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a Deus e à palavra da sua graça; a ele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados.

 

É desse Evangelho que Paulo está falando (v. 24). Encomendo-vos a Deus e à palavra da Sua graça; o Evangelho; as Boas Novas de Jesus Cristo, que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados. Então Paulo faz esses comentários finais:

 

33 De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário.

34 Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram.

35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.

 

Embora Paulo pudesse ter recebido dinheiro pelo seu ministério e algumas vezes o tenha feito, ele quis muito evitar a maneira dos falsos professores que ele mesmo suportou enquanto estava em Éfeso. Vejam agora esse final emocionante:

 

36 E, havendo dito isto, pôs-se de joelhos, e orou com todos eles.

37 E levantou-se um grande pranto entre todos e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam,

38 Entristecendo-se muito, principalmente pela palavra que dissera, que não veriam mais o seu rosto. E acompanharam-no até o navio.

 

Nós precisamos amar a verdade, viver para a verdade, e aprender a verdade. Paulo diz que tudo é por causa de Deus e a da palavra da Sua graça, que é capaz de vos edificar e te dar uma herança. Nós somos criados para aprender, amar, e viver para a verdade do Evangelho e compartilhar o Evangelho com os outros.

 

Irmãos e irmãs, lembrem-se que Deus em Seu infinito amor fez por vocês o que vocês não poderiam fazer sozinhos. Paulo escreve em 2 Corintios 5:21: “Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus”. Jesus Cristo cumpriu as perfeitas exigências da lei, vivendo de maneira perfeita a vida que você não pode viver sozinho. E então Jesus morreu na cruz para receber o castigo e a penalidade dos seus pecados. Esse é o Evangelho, essa é a verdade, sobre a qual nós temos estudado. Essa é a verdade que você e eu precisamos receber.

 

Receba Cristo e comece a correr a corrida da vida cristã. E continue correndo a corrida. Não pare. Corra para que você termine a corrida com alegria!

 

. Fique de pé para oração.